Sem apoio, atletas de São Roque são acolhidos por outras cidades na área do esporte

“Aqui o comprometimento da prefeitura é mínimo com os atletas”, afirma Natália Savioli (21) lutadora são-roquense que teve que buscar apoio ao esporte em outro município da região. Atualmente ela luta Taekwondo na categoria Poomsae e representa a cidade de Indaiatuba.

A jovem começou a pegar gosto pela luta aos nove anos e conta que com toda sua dedicação nos treinos pôde ver sua evolução durante os anos e conseguiu o que mais queria, poder disputar torneios. Só que a realidade foi outra, não tendo apoio em São Roque – SP, cidade em que sempre morou, teve que procurar por outra que realmente lhe ajudasse e incentivasse em seu sonho.

Hoje, Natália recebe um auxílio financeiro para ir para seus treinos, cursos e campeonatos de Indaiatuba. “Aqui em São Roque nunca tive isso, sendo que tinha que tirar do meu bolso tudo o que eu fosse fazer, até ônibus para as competições eram difíceis de nos oferecerem”.

“Para ser um atleta bom, você precisa sempre estar treinando, se atualizando… Pois em minha categoria, quem tiver mais técnica ganha”.

Outro incentivo que a atleta conta é que existe uma “bolsa atleta” em que recebe uma quantia de dinheiro se conseguir conquistar primeiro ou segundo lugar nos Jogos Regionais. Essa quantia pode chegar a R$300,00. E se ganharem os Jogos Abertos – próxima etapa depois dos Regionais –, esse valor pode até dobrar. “Então por isso, eu prefiro representar a cidade de Indaiatuba, já que tenho um apoio bem maior”

O atual vice-campeão em Karatê dos Jogos Regionais, Márcio Andrade (22) também já representou outras cidades como São Carlos e Mogi das Cruzes. O atleta ressalta que ambas fecham um contrato com ele e o pagam um salário por mês como uma forma de incentivo por estar as representando. “E realmente São Roque não ajuda em nada, nem um tipo de auxílio, dinheiro, equipamento ou coisa do tipo”, conclui o atleta.

Entramos em contato com a assessoria de comunicação da Prefeitura de São Roque para obter uma reposta sobre, mas até o fechamento e publicação desta matéria não tivemos um retorno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *