Caso Vitória: Júlio César relata nova versão, inocenta casal e diz que foi torturado pela polícia

Em uma carta dada a imprensa, Júlio César Lima, que atualmente está preso suspeito de participação no caso Vitória Gabrielly, contou uma nova versão sobre todo o crime afirmando que os verdadeiros assassinos ainda estariam soltos. Júlio escreveu uma carta de próprio punho de quatro páginas afirmando que foi torturado pela polícia em que deveria confessar o crime.

Chutes, socos, choques e até mesmo sufocamento com saco plástico o suspeito afirma que sofreu. E ainda conta que todo o crime aconteceu sobre conhecimentos de agentes de segurança pública da Delegacia de Araçariguama.

“Tudo que falei foi porque a polícia me obrigou mediante tortura física e emocional. Até minha família foi ameaçada”

Em sua carta, Júlio cita o casal Maiara Borges e Bruno Marcel de Oliveira afirmando que ambos são inocentes e que tudo já dito sobre eles foi tudo mentira. Que nunca esteve em um carro com eles e nem com a menina, e só contou tudo agora pois acredita que esteja seguro em Tremembé, Penitenciaria onde os três estão presos.

Também ao veículo de televisão, o delegado da Seccional de Sorocaba, Marcelo Carriel, negou as declarações, e ainda afirmou que o suspeito teve diversas oportunidade de se pronunciar sobre tudo isso e que o mesmo irá ter que provar todas as “supostas afirmações”, já que passou por diversas vezes pelo IML (Instituto Médico Legal). E que existem laudos de corpo de delito que comprovam que nunca teve qualquer tipo de lesão corporal.

Outra informação é que o delegado considerou estranhas essas afirmações já que Júlio não teria relatado as informações da carta ao seu advogado.

Uma resposta para “Caso Vitória: Júlio César relata nova versão, inocenta casal e diz que foi torturado pela polícia”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *