“Passou pimenta nas minhas partes íntimas” diz vítima de tortura pelo marido em São Roque

São Roque – No último dia 7 de julho uma jovem de 23 anos procurou a Polícia em São Roque (SP), após conseguir fugir de casa, para denunciar o então marido em um caso cruel de tortura e agressões.

O marido da jovem, um rapaz de 26 anos foi preso poucas horas depois da vítima ter ido a delegacia. Ele acabou preso próximo a delegacia, pois já sabia que a mesma havia conseguido fugir de casa e estava a sua procura.

Na delegacia a vítima relatou que esta sendo torturada e agredida havia algumas semanas. Ela era amarrada em uma cadeira e agredida por golpes de mangueira, que causavam hematomas por todo o corpo, além de ter que passar pimenta nas partes intimas.

A motivação do crime, além de sair de casa e mante-lá em carcere privado, segundo ela, seria pelo motivo dele ter sonhado que a então mulher teria o traído, conforme o depoimento da vítima no boletim de ocorrência.

Ainda em detalhes, ele relatou ao policiais que durante as agressões, o marido jogava sal pelo seu corpo e água, além de ligar aparelhos de TV e Rádio em volume alto para que os vizinhos não percebessem nada.

“Eu não conseguir nem gritar, era amordaçada, ela também dizia em comprar uma arma para me matar”  relatou ela em boletim de ocorrência. 

Os policiais solicitaram a prisão preventiva do homem, que foi encaminhado para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Capela do Alto (SP).

A mulher passou por atendimento médico e realizou exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML).

Polícia faz pedido de prisão temporária de suspeitos em desaparecimento de jovem de Araçariguama

Nesta sexta-feira (15), completa-se uma semana do desaparecimento da jovem de 12 anos Vitória Gabrielly. A jovem desapareceu após sair de casa na sexta-feira dia 08 da última semana, para brincar de patins e após isso não foi mais vista.

Durante uma semana em intensivas ações de buscas, a polícia decidiu suspender os trabalhos de busca para encontrar a jovem e pediu a prisão temporária de três suspeitos do caso. Esses suspeitos já foram ouvidos por mais de uma vez em depoimento e de acordo com os delegados e delegada do caso, o declaração dos fatos dos suspeitos entram em contradição, por isso foi pedido a prisão temporário deles.

Esse pedido deve sai ainda nesta sexta-feira em ação do fórum de São Roque. Conforme apurações e a linha de investigação da Polícia a jovem possivelmente teria sido levada por engano em uma ação relacionada com o trafico de drogas. Vitória teria sido pega por engano no lugar de uma outra menina da mesma idade e aparência.

Benzedor espiritual é acusado de assédio sexual em São Roque

Um caso registrado na delegacia de São Roque relata um caso de assédio sexual, cometido por um benzedor espiritual, localizado no bairro Guaçu.

Pelo menos cinco pessoas foram vítimas do acusado, uma delas registrou o caso na delegacia da cidade, o nome do homem não foi divulgado.

Em um dos casos, a vítima em breve relato a reportagem, disse que o benzedor pedia para ficar a sós com a pessoa e realizava alguns procedimentos incomum, tocando partes intimas em repetidas vezes. Até mesmo uma criança ao que relatou a vítima que preferiu não se identificar, teria sido assediada.

“Se aproveitava da situação para ‘passar a mão’, tive um constrangimento e medo” disse a vítima oculta.

A reportagem identificou cinco vitimas do acusado, mas apenas uma delas registrou o caso na delegacia.

Polícia prende homem acusado de matar jovem a pedrada em Araçariguama

O corpo do jovem de 26 anos foi encontrado em uma praça da cidade com um ferimento grave na cabeça

A Polícia Civil informou nesta  sexta-feira (01), a prisão de um homem de 30 anos acusado de matar um jovem de 25 anos a pedradas em Araçariguama(SP). O crime aconteceu na última semana (27),  e o corpo da vítima foi deixado em uma praça da cidade, encontrado horas depois pela Polícia.

Fabiano dos Santos, foi preso no feriado (31), em São Paulo durante uma abordagem Policial. Aos policiais ele conversou o crime, nervoso ao ser abordado. Levado a delegacia de São Roque onde o caso foi registrado, ele afirmou ter cometido o crime.

A Polícia ainda não informou o motivo do crime que segue sob investigação, mas a suspeita é de que um desentendimento pode ter motivado o ocorrido, também há a suspeita de que o autor do crime tenha tido ajuda de outras duas pessoas.

Dois comércios são alvo de criminosos em São Roque durante fim de semana do dia das mães

Durante o fim de semana do dia das mães, dois estabelecimentos comerciais foram alvo de criminosos em São Roque. As duas ações ocorreram na região central da cidade.

Uma dos estabelecimento alvo, foi uma rede de salão de beleza, localizado na rua Padre Marçal, no qual o criminoso conseguiu entrar por uma janela de acesso a via. Toda ação foi registrada por câmeras de segurança do local e o homem que aparece nas gravação levou R$ 500 em dinheiro que havia no caixa do salão.

 O outro estabelecimento localizado na próximo a rua São Paulo, bairro Taboão, não chegou a ser invadido, mas teve uma de suas portas arrombada, e com o alarme o criminoso abandonou o local antes da chegada da polícia.

Os dois casos foram registrados na delegacia da cidade que irá comprar as ações junto com outras anteriores registradas no município que vive uma onda de furtos desde o começo de abril, tanto em espaços comerciais e residenciais.

A polícia já tem um suspeito das ações, mas trabalha com cautela nos casos.

Homem é preso praça pública de São Roque após roubar celular em posto de saúde

Durante a semana, na quarta-feira (09), um homem acabou preso em São Roque, após roubar um aparelho celular em uma unidade de saúde básica na região central da cidade.

O caso aconteceu na unidade localizada na avenida John Keneddy. O aparelho foi roubado por ele em um momento de distração de uma funcionaria do local, em que ele pegou e deixou o local rapidamente.

Pouco tempo depois ela notou o ocorrido e acionou a polícia, passando informações de como ele seria e estava vestido no momento em que tudo aconteceu.

Instantes depois ele acabou sendo preso na praça principal da cidade com o aparelho. Aos policiais ele não quis dizer nada e assumiu ter cometido o ato. Ele foi levado a delegacia da cidade onde o caso foi registrado e deverá ser levado para um Centro de Detenção Provisoria na região.

Polícia prende em Vargem Grande dono de clínica clandestina fechada em São Roque

Foi preso na manhã desta terça-feira (08), em um hotel na cidade de Vargem Grande, o dono de um clinica clandestina fechada em São Roque no último mês.

O responsável pela clinica, Peter Meneses estava hospedado no hotel quando foi preso. Ele foi levado apara delegacia da cidade de São Roque

Neste ano a clínica que funcionava em uma chácara na zona rural da cidade, foi fechada duas vezes, a primeira em janeiro. Peter foi preso sob acusação de maus tratos com os pacientes da unidade que oferecia tratamento de álcool e drogas. No segundo caso em que a clinica foi fechada no dia 9 de abril, em reportagem dada pelo O Democrata 23 pessoas foram resgatadas do local, todas elas em condições precárias, sem alimentação adequada, higiene e segurança.

Com a prisão do dono da clinica, a promotoria de justiça do estado deverá dar andamento ao caso, diante a situação. Cada paciente pagava um valor entre R$ 800 à R$ 1.200 para ser atendido.

Inicialmente o acusado desmentiu as acusações de maus-tratos.

Dono da empresa que fornecia cestas básicas à prefeitura de São Roque é preso no caso “máfia da merenda”

No último dia 6, nove pessoas foram presas na Operação Cadeia Alimentar, que investiga suspeitas de fraudes em licitações de merenda escolar em até 32 cidades do Estado de São Paulo. A operação deflagrada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime), Ministério Público de SP e a Polícia Federal, teve como alvos empresas ligadas ao fornecimento de merenda escolar, mas não está descartado o envolvimento de agentes políticos no esquema. Entre os detidos está o empresário José Geraldo Zana, dono da JGZANA, empresa contratada em caráter emergencial para fornecimento de cestas básicas à Prefeitura de São Roque em 2013.

Segundo reportagem publicada pela Folha de São Paulo na última semana, a investigação do Gaeco teve início em 2015 com o objetivo de apurar o suposto pagamento de propina de R$ 1 milhão a funcionários da Receita Estadual pelo empresário do ramo de carne José Geraldo Zana, da empresa MultBeef, de Brodowski (a 338km de SP) para que não aplicassem uma multa milionária à empresa. Durante a investigação, o Gaeco disse ter descoberto que a empresa havia se aliado a outras do setor para fraudar licitações em cidades do interior paulista.

“A empresa tinha seu superfaturamento principal com contratos públicos. O fisco constatou que a empresa que desencadeou a investigação, subdimensionava os registros de estoque para depois vender produtos sem nota fiscal. Com isso apurou-se desfalque fiscal de quase R$ 32 milhões”, afirmou o promotor Frederico Meloni à Folha. A suspeita é de que há sete anos o grupo fraudava licitações. Representantes da MultBeef não deram entrevista. A assessoria de imprensa do Gaeco informou que a investigação segue em sigilo.

Na manhã do último dia 6, a Promotoria de Justiça de São Roque manteve contato com a prefeitura solicitando cópia do processo licitatório realizado em 2016, último ano de mandato da administração anterior. Na mesma data foram fornecidas todas as cópias solicitadas.  A atual Administração (2017-2020) se colocou a total disposição para fornecer informações e contribuir com as investigações, sempre primando pela verdade e transparência na aplicação dos recursos públicos.

Máfia da merenda

Em 7 de maio de 2007 se julgaram as propostas para a terceirização da merenda em São Roque. Lembrando que um contrato de serviços pode se estender por 60 meses, ou cinco anos, e ser prorrogado emergencialmente por um ano.

Em 2011 o jornal “O Estado de São Paulo” publicou uma reportagem sobre a “máfia da merenda”, composta pelas empresas SP Alimentação, DE Nadai/Convida, Nutriplus, Geraldo J. Coan, Sistal e Verdurama, explodindo o escândalo das fraudes da merenda escolar. Segundo investigações do Ministério Público Estadual estas empresas atuavam para “viciar” as licitações, fazendo com que ganhassem quem este grupo determinava e em contrapartida pagavam propina para os administradores públicos que aceitavam o direcionamento das licitações. Formalmente as licitações eram regulares, mas no fundo eram direcionadas por este cartel. De acordo com o jornal se pagou propina em 57 prefeituras e dois governos estaduais. A propina variava entre 7% a 10% do valor do contrato.

As prefeituras de São Roque e Mairinque foram investigadas pelo Tribunal de Contas da União, já que ambas possuíam contratos com a empresa Geraldo Coan, apontada no esquema. A situação é mais grave, visto que em 2009, em ação conjunta do Ministério Público Estadual e Secretaria da Fazenda, inclusive fazendo busca e apreensão de documentos na sede da Geraldo Coan, afirma que estas empresas deram um golpe de mais de R$ 300 milhões ao não pagarem impostos ao Estado, prejudicando também o município, visto que um quarto do ICMS é repassado às cidades.

Em 2014 dados obtidos em levantamento realizado pelo CAE – Conselho de Alimentação Escolar, com base nos produtos que integram o contrato firmado entre a Prefeitura de São Roque e a Agro Comercial da Vargem LTDA, nos meses de agosto e setembro daquele ano, mostraram que alguns itens que compunham a merenda oferecida nas escolas municipais custavam à Prefeitura de São Roque até 422% a mais do que a média de preços praticada em alguns supermercados do município. Um dos casos com maior defasagem de preços, por exemplo, é do quilo do feijão carioca tipo 1 – comprado pela administração por R$ 9,70 e era encontrado na ocasião da pesquisa a R$ 2,19 nas prateleiras.

Cestas básicas

A Prefeitura de São Roque cancelou no mês setembro de 2013 a licitação através do Pregão Presencial 048/2013 que visava adquirir cestas básicas para os Servidores, plantão do Departamento de Bem Estar Social e para os pacientes da Vigilância Epidemiológica, alegando que um dos itens da cesta poderia ter problemas com o fabricante para fornecimento, a licitação acabou sendo cancelada. Além de atraso na entrega, gerou também a contratação de uma empresa em caráter emergencial para o fornecimento pelos próximos três meses. A empresa contratada registrada na Junta Comercial do Estado de São Paulo como JGZANA Alimentos Ltda., constituída no dia 07/01/2013, com sede é na cidade de Brodowsky, estado de São Paulo, foi a vencedora. O valor da contratação emergencial na época foi de R$ 886.973,46 para três meses de fornecimento e o custo unitário da cesta é de aproximadamente R$ 110,00. Com o contrato anterior que tinha como fornecedora a Comercial João Afonso, cada cesta básica custava entre R$ 76,00 e R$ 78,00.

Em 2015 foi feita uma licitação para a contratação de um novo fornecedor para as cestas básicas na cidade, e quem venceu foi a empresa Agro Comercial da Vargem LTDA., mesma que fornece até hoje.